ESTUDO / SANTIDADE

Estudo / Santidade

V. F. B. Beard

Publicado em 02.05.2004



“A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz”. Romanos 13:12

 

         Ele era um jovem normal e tinha os mesmos desejos de todos de sua idade. E naquele ponto da conversa tomou fôlego e disse num desabafo: “para você, que é casado, é fácil falar em santidade na área sexual, mas para mim, que sou solteiro, o bicho pega”.

         Também tomei fôlego e respondi que já tive aquela idade e sei o que todo jovem passa, e expliquei que o fato de estar casado não me eximia de passar por tentações sobre sexo.Uma pena que mesmo conversando francamente, aquele rapaz anos depois teve uma amargura muito profunda no tocante ao sexo.

         Geralmente o jovem não gosta de ouvir sobre santidade, e sempre se esquiva dizendo que o pregador é “nada a ver”, um legalista, juiz de seus destinos, porém, o problema é maior, pois a palavra declara que em Hebreus 12:14, Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.  Cara”, é uma santificação que não é fruto da vontade humana somente, mas da ação de Deus em nós. Outro dia ouvi esta afirmação: “Deus sabe dos meus pecados e quando ele quiser serei tratado”. É fácil assim, não é? Cristo fez uma obra para nos livrar do pecado, e eu tomo a decisão de fazer tudo o que quero para satisfazer meus desejos egoístas, indo a lugares que não edificam, “ficando”, mentindo, falando mal dos outros, fazendo intriga entre os irmãos, e me escondo atrás da “soberania” de Deus. E agora pergunto: Até quando vou me enganar assim? Até ficar velho, e chegar os tempos onde Eclesiastes diz que “Não tenho neles contentamento?” Não se iluda, não se deixe enganar, cada um colherá o que plantou.

          Iniciamos este artigo citando Romanos 13:12 onde claramente se lê rejeitemos, portanto, é preciso responsabilidade moral diante das obras más. Muitos dizem assim: “O senhor proverá, Ele vai me livrar”,  porém  toda hora que pode , desde que  ninguém esteja vendo, acessa sites pornográficos e fica “plugado”  para seu deleite.

         Outros de uma forma mais discreta fazem intrigas, envolvendo irmãos em rolos, aumentam histórias e depois dizem: “Ó Senhor vem em meu auxílio, o Senhor sabe que sou assim. Tanto este como aquele não estão rejeitando as obras das trevas, mas sim alimentando-as. John MacArthur Junior afirmou em seu livro ‘O Poder da Integridade’: “o termo quietismo vem da idéia de que o crente permanece quieto ou espiritualmente passivo com respeito à sua santificação”.

         Quero dizer que crer assim é tentar a Deus e, por fim, é querer continuar sendo um impuro. “Saia dessa”, tenho pensado que isto poderia chamar-se “graça vagabunda” e que não provém do nosso Senhor Jesus.

         Dias atrás uma de minhas filhas me perguntou: “Papai, onde na bíblia está escrito que  não podemos  ir à  ‘balada’”? Respondi que esta proibição  não existe na bíblia, mas que há alertas para que evitemos a aparência do mal, como diz I Corintios 6:12: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”.  Disse que nestes lugares as pessoas na sua grande maioria vão para “ficar” e para buscar alegria que não possuem.  Então ela afirmou: “mas eu posso ir lá e não estar pensando em nada disso e nem ter a intenção de fazer nada errado”. Respondi que isto é uma armadilha para muitos, pois vão até lá achando-se fortes o suficientes, e logo estão agindo igual aos outros e achando tudo normal. Isto quando não encontram outros da igreja para fortalecer seu erro. Temos um texto claro sobre isto em Salmo 1: 1b: “Nem se assenta na roda dos zombadores” (BJ).

         Santidade não é algo banal, conforme diz a Palavra de Deus. Ainda no versículo de Romanos, temos a expressão “obras das trevas”. Russel N. Champlin definiu assim sobre a noite e as obras das trevas: “A noite, em sentido comum e literal, é o tempo em que os homens geralmente praticam coisas desviadas, desonestas, violentas e vergonhosas, porquanto as trevas contribuem para ocultar aquilo que querem fazer  de mal. No sentido espiritual, a noite significa a alma não iluminada dos homens, que são criados, ensinados e sentem prazer na perversão”. No versículo 13, cita algumas obras das trevas: orgias, bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavenças e inveja (NVI).

         A. W. Tozer afirma sobre a santificação: “Pode um homem tornar-se crente em Cristo, e não ser melhor do que era antes” e também podemos ver em 1 Coríntios 15:49:  “E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também  a imagem do que é celestial. Meus queridos,  a obra de Cristo na cruz se manifestou para que fossemos herdeiros de Sua vida santa vivendo em nós, aleluia!

          Novamente digo: não se iluda, somente o regenerado deseja a santidade atribuída graciosamente pelo nosso Senhor Jesus Cristo. A maior sinceridade religiosa nunca produzirá santidade, o máximo que fará é colocar uma casca de procedimentos farisaicos e ofensivos à graça gratuita de Deus.

         Finalizando, temos ainda a expressão “vistamo-nos das armas da luz” estas armas da luz estão relatadas em Efésios 6:11 a 18, e são: verdade, justiça, fé, palavra de Deus e a oração. Os que são da luz gostam das coisas do dia e realmente rejeitam as obras das trevas.

         Não estamos aqui falando sobre perfeccionismo, mas sim, uma vida que teme desagradar a Deus e motivado pelo Santo Espírito, busca ser santificado pela vida de Cristo no viver diário de acordo com 2 Coríntios 4:10: “Trazendo sempre por toda parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossa carne”. A mortificação dos nosso desejos, crendo que o pecados e os pecados foram incluídos no corpo de Jesus Cristo, e que agora esta mortificação libera a manifestação da vida nova em nós, subjugando toda vontade da carne,  renunciando às obras das trevas que desagradam ao nosso Senhor e Salvador.

         Você pode ler este aviso e cantar “tô nem aí, tô nem aí”, ou olhar para sua vida e ter vergonha da vida “cristã” que levou até aqui e pedir misericórdia, faça isto, clame ao Deus da misericórdia que te faça crer que “aquele que está em Cristo é nova criatura e as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo”, vai nessa, brother, aqui tem graça para todo falido arrependido. Ore assim: “Senhor, dá-me um coração puro e renova dentro em mim um espírito reto.”

         Graça a todos.

           


VoltarEnviar páginaImprimir páginaComentar


Avenida Paraná, 76 - A - Próximo ao Calçadão - Londrina - Paraná - Brasil
Ministério Jovem Livres Em Cristo - Primeira Igreja Batista em Londrina